MAPEAR FORNECEDORES: 5 DICAS DE ESPECIALISTAS DE COMO FAZER

  03/02/2015 - Por : - mapear fornecedores

As grandes corporações dedicam atenção especial à tarefa de mapear fornecedores.

O cuidado na montagem da cadeia de suprimentos tem relação direta com o desempenho da companhia.

A produtividade depende, entre outros fatores, da garantia de ter matérias-primas e insumos de qualidade, com preço competitivo, com entrega em prazo adequado e sem riscos.

Diante da importância que cerca o mapeamento de fornecedores, qualquer falha no processo pode comprometer os resultados financeiros da empresa.

Nesse sentido, especialistas na área apontam cinco dicas que o empreendedor deve seguir na hora de montar a sua cadeia de suprimentos. Confira!

1 – O ponto de partida

O mapeamento deve ser precedido pela definição dos processos e diretrizes de compras corporativas.

Para isso, é importante não perder de vista a missão, a visão e os valores da empresa.

A etapa de planejamento ajuda o gestor a desenhar a estruturação do cadastro de fornecedores.

2 – Diagnóstico

Qual a real demanda da empresa por bens e serviços?

Essa resposta deve levar em consideração, sem exceção, todas as necessidades da companhia.

O diagnóstico correto permite ao gestor, em primeiro lugar, elencar as áreas em que há a necessidade de fornecedores.

Dessa forma, será possível identificar possíveis gargalos, planejar saídas alternativas e definir prioridades.

3 – Práticas responsáveis

O bom fornecedor é aquele que oferece itens de qualidade, com prazo adequado de entrega e preço baixo, certo?

Nem sempre. Apenas esses elementos já não bastam para garantir a presença de uma empresa na linha de suprimentos.

A montagem da cadeia de fornecedores deva levar em consideração o respeito a práticas socioambientais.

O formulário com informações sobre o fornecedor deve conter itens sobre o cumprimento de obrigações legais (legislação trabalhista, previdenciária e fiscal), o uso responsável de recursos naturais e a implementação de programas de reciclagem.

Além disso, as respostas precisam passar por verificação.

Lembre que a empresa assume a corresponsabilidade ao contratar o fornecedor.

A imagem da companhia pode sofrer perdas por conta de erros de algum membro da cadeia de suprimentos.

4 – Cronograma de suprimentos

Sempre que possível, estabeleça um cronograma de médio e longo prazo para suprimentos.

Isso facilita o mapeamento de fornecedores.

O gestor pode trabalhar, por exemplo, com a diversificação das fontes de matérias-primas, insumos e serviços.

Isso permite ainda minimizar os impactos de efeitos sazonais na disponibilidade de itens.

5 – Automação

Mapear fornecedores com o auxílio de planilhas e controles manuais, além de ultrapassado, aumenta a chance de erros.

Há no mercado inúmeros sistemas capazes de elaborar listagens, rastrear indicadores de desempenho, consolidar os questionários de pesquisa, analisar riscos antes e depois da contratação do fornecedor, além de apresentar relatórios com perfil de cada membro da cadeia de suprimentos.

A empresa deve ainda estimular que seus fornecedores participem de redes.

A automação de processos promove ganhos de produtividade, gera economia de recursos e confere maior agilidade às decisões.

As redes permitem um mapeamento mais amplo e detalhado, dando à empresa novas opções para aquisição de matérias-primas, insumos e serviços.

Avalie esse Post

Comentários estão fechados.