COMO DEFINIR PARÂMETROS PARA UM RANKING DE FORNECEDORES?

  05/03/2015 - Por : -

As grandes corporações encaram a relação com seus fornecedores como elemento estratégico na obtenção de melhores resultados, por isso a importância de definir parâmetros para um ranking de fornecedores é tão importante.

Já está longe o tempo em que as companhias buscavam apenas quem entregasse matérias-primas e insumos mais baratos.

Hoje, inúmeros parâmetros são levados em conta na hora de definir o time de abastecedores.

A escolha correta significa redução de riscos e custos nas transações, além do aumento da competitividade.

A classificação de abastecedores deve se basear em critérios técnicos, além de estar em sintonia com a missão e os valores da empresa.

Qualquer descompasso nesse campo pode colocar em risco a imagem da corporação.

Já se tornou emblemático o caso da Nike, que teve a aura de empresa vencedora afetada por práticas nocivas de abastecedores na Ásia.

A definição de critérios para seleção de abastecedores ajuda ainda a criar uma identidade no mercado.

A empresa que quiser abastecer de matérias-primas, insumos ou serviços a corporação sabe que precisa se enquadrar em um determinado perfil.

Parâmetros de escolha dos fornecedores

Mas que critérios a corporação deve utilizar na classificação de seus abastecedores?

As possibilidades são infinitas, porém há alguns parâmetros comuns, independentemente do porte ou da atividade econômica do contratante.

O ranking começa a se desenhar a partir dos seguintes pontos.

  • Preço – O primeiro dos pontos da avaliação, embora há muito tempo tenha deixado de ser o mais importante.
    Hoje, o custo do item fornecido é apenas um aspecto a mais na análise.
  • Qualidade – Aspecto fundamental no estabelecimento da relação contratante fornecedor.
    Em um ambiente caracterizado pela concorrência acirrada, qualidade é crucial para conquista e manutenção do mercado.
  • Entrega – O fornecedor precisa entregar os itens no menor tempo possível e com garantia de cumprimento dos prazos.
  • Flexibilidade – Em diversos ramos da atividade econômica, as empresas enfrentam flutuações de demanda do mercado.
    O fornecedor deve estar preparado para atender a pedidos fora do padrão usual de quantidades, garantindo o mesmo nível de qualidade, prazo de entrega e preço.
  • Solidez empresarial – O fornecedor que apresenta boa saúde financeira e se coloca no mercado como um player de destaque merece atenção especial da corporação. Afinal de contas, estabelecer parcerias com companhias respeitadas agrega valor às relações comerciais.
  • Capacidade técnica – A empresa que se dispõe a fornecer serviços, insumos ou matérias-primas tem reconhecimento no mercado por conta de sua capacidade técnica comprovada, da mão-de-obra especializada e de uma política de recursos humanos pautada pelo respeito aos direitos trabalhistas.
  • Segurança – As mesmas práticas e programas implementados pelo contratante devem ocorrer nas empresas fornecedoras.
    Essa é uma maneira de demonstrar que a parceria apresenta similares preocupações.
  • Sustentabilidade – O respeito ao meio ambiente e às práticas que estimulem a sustentabilidade deixou de ser apenas uma questão de marketing.
    Além dos aspectos legais, éticos e sociais, atuar de forma sustentável é uma necessidade mercadológica.
  • Localização – Fornecedores instalados na mesma área geográfica da corporação ganham pontos no ranking.
    Isso porque contribuem para o desenvolvimento da região, além de aproveitar mão-de-obra local.
    A proximidade geográfica pode acelerar a criação de vínculos mais fortes e parcerias estratégicas entre contratante e fornecedor.

Pré-qualificação de fornecedores

Grandes companhias criam processos de pré-qualificação dos fornecedores.

Os fornecedores se candidatam a oferecer insumos, matérias-primas e serviços.

Os modelos variam, mas normalmente envolvem o preenchimento de questionários e cadastros.

O contratante faz visitas técnicas, nas quais avalia as informações recebidas e checa se o possível fornecedor se enquadra nos parâmetros estabelecidos.

A análise prévia com vistas à formação de um cadastro de fornecedores permite aos responsáveis pelas compras identificar possibilidades de parcerias e a chance de ampliar as opções para suprir demandas futuras.

O desempenho dos fornecedores passa por avaliação periódica, com vistas à atualização do ranking.

A análise deve ocorrer com a participação dos fornecedores, para que o contratante discuta ajustes e apresente demandas, ao mesmo tempo em que ouve críticas e sugestões.

A empresa em que você atua estabelece ranking para fornecedores?

Deixe seu comentário.

Avalie esse Post

COMO DEFINIR PARÂMETROS PARA UM RANKING DE FORNECEDORES?
4.3 (86.67%) 9 votes

Comentários estão fechados.