FORNECIMENTO: 13 DICAS PARA MELHORAR A GESTÃO DA CADEIA

  25/12/2014 - Por : -

Se você está sempre em busca de melhorias na gestão da cadeia de fornecimento da sua empresa, as dicas a seguir podem te ajudar muito.

Fique ligado:

1 – Elimine ao máximo as planilhas de Excel

Muitas empresas ainda planejam suas compras usando planilhas do Excel.

Isso torna o processo mais lento e complexo, dando mais trabalho aos profissionais que precisam organizar e relacionar as várias planilhas de tempos em tempos.

Atualmente existem muitos gerenciadores (alguns gratuitos, inclusive) que unificam o processo e geram gráficos e estatísticas.

Certifique-se de unir tudo numa única ferramenta, para tornar o trabalho mais rápido e efetivo.

2 – Identifique parceiros inovadores

Gerentes de cadeia de abastecimento devem determinar quais dos seus fornecedores possuem capacidades para ajudar a produzir inovações em produtos e serviços ou no próprio fluxo de trabalho da equipe de compras.

3 – Segmente sua base de fornecimento

Para identificar os parceiros certos, a segmentação de fornecedores deve tornar-se uma habilidade organizacional.

Ou seja, você deve ser capaz de classificar os perfis dos fornecedores e avaliar a importância de cada um deles.

4 – Selecione uma boa ferramenta de gestão de compras

Como citado anteriormente, existem muitas opções de softwares para gestão da cadeia de suprimentos no mercado.

Pesquise a solução que melhor atenda as necessidades do seu segmento de atuação, bem como aquela que irá facilitar os processos para sua equipe e para a articulação com os demais departamentos da empresa.

5 – Estabeleça métricas da cadeia de suprimentos

Métricas são importantes para avaliar a eficiência da sua equipe da área de compras.

Elas devem estar atreladas ao plano estratégico da empresa. Isso vai te auxiliar a obter informações oportunas que ajudam a reagir a ameaças e otimizar as oportunidades.

Comece com métricas que possam ser aferidas, interna e externamente, como cash-to-cash, tempo de ciclo, retorno sobre o capital de giro, realização perfeita das atividades pré determinadas e indicadores de agilidade, por exemplo.

6 – Gerencie as informações geradas pelo sistema de compras

O software de compras da empresa deve facilitar a coleta adequada dos dados, sua identificação, além de facilitar as decisões rápidas.

Colete as informações mais relevantes e alinhe com os objetivos de negócios.

Em seguida, garanta que elas sejam facilmente acessíveis às equipes responsáveis.

7 – Envolva seus funcionários

Mostre às pessoas que compõem sua equipe como as atividades que elas exercem influenciam toda a cadeia de suprimentos.

Estabeleça metas e crie processos onde um profissional deve complementar o trabalho do outro, estimulando a colaboração.

8 – Integre vendas, operações e finanças

Integre projeções de vendas do planejamento estratégico da empresa a etapas como o planejamento de produção e operações e as finanças, com custos orçamentários, investimentos e fluxo de caixa em único plano de ações.

Vendas e Planejamento de Operações oferecem o melhor equilíbrio entre a demanda dos clientes internos, capacidade de produção e desempenho financeiro da empresa.

9 – Use um único software para a cadeia de abastecimento

Em vez de olhar para a opção mais barata e ter soluções diferentes para diferentes locais, use um sistema integrado, mesmo que isso lhe requeira um investimento maior.

O ditado popular que “o barato sai caro” pode ser real nesse contexto.

Otimizando esse processo, você garante mais produtividade e enfrenta menos problemas de integração das informações.

10 – Monitore o desempenho de todos seus fornecedores

A falha de um fornecedor chave pode ser prejudicial e causar impacto negativo na receita da sua empresa.

Por isso, avalie constantemente o desempenho das empresas que fornecem suas matérias-primas, produtos ou serviços.

Segundo alguns estudiosos, para se manter no topo da sua rede de fornecedores, é essencial avaliar, otimizar, propor adequações e, se necessário, substituir parceiros.

11 – Implementar sistemas de logística automatizados e as tecnologias móveis

Para melhorar a eficiência e minimizar custos e imprecisões, tire proveito de tecnologias como RFID (Radio Frequency Identification – Identificação por Rádio Frequência), comando de voz, mobilidade, sistemas de automação de armazéns e sistemas de gestão de armazém.

12 – Analise informações para atender as necessidades dos clientes

Muitos gestores de Compras acreditam que a cadeia de abastecimento começa no armazém e termina quando os produtos foram entregues para as lojas.

Isso simplesmente não é verdade e é algo sintomático da mentalidade de “cadeia de distribuição”.

Mais importante do que garantir que os produtos são estocados nas prateleiras é que esses produtos sejam desejáveis aos clientes (e isso é válido tanto para quem compra insumos ou abastece os postos de vendas).

Então não se esqueça de acompanhar o que seus clientes realmente querem e quais produtos eles necessitam com mais frequência.

13 – Integre os gastos com marketing no planejamento da cadeia de suprimentos

Inclua os gastos com marketing – que incluem os custos, limites de recursos e impacto previsto de iniciativas de marketing planejados em seu plano de cadeia de abastecimento para maximizar a rentabilidade da sua empresa.

Ao fazer isso, a empresa pode identificar quais as campanhas de marketing tiveram um feedback melhor e quais devem ser evitadas, considerando os clientes alvo, canais e produtos de cada campanha e as condições do mercado ideal, fabricação e distribuição correspondentes, tudo à luz dos custos da cadeia de suprimentos, capacidades, necessidades de serviço, fluxos de caixa e as metas de lucros elencadas no planejamento.

Avalie esse Post

FORNECIMENTO: 13 DICAS PARA MELHORAR A GESTÃO DA CADEIA
4.6 (91.85%) 27 votes